Anadolu Hisari

Anadolu Hisari

Anadolu Hisari (Anadoluhisari), traduzido como o Castelo da Anatólia, é uma fortaleza medieval na Turquia construída pelo bisavô de Mehmet, o Conquistador, Sultão Beyazid I. Anadolu Hisari não está aberto ao público, no entanto, a Fortaleza Rumeli do século 15 está.

História de Anadolu Hisari

Conhecido historicamente como Guzelce Hisar, "o Beauteous Castle", Anadolu Hisari foi construído entre 1393 e 1394 por encomenda do sultão otomano Bayezid I como parte de sua preparação para sitiar a então cidade bizantina de Constantinopla. A fortaleza foi construída em mais de 7.000 metros quadrados no ponto mais estreito do Bósforo, controlando a passagem ao longo do rio.

Constantinopla foi bloqueada em 1394, mas a campanha de Bayezid foi interrompida pela Cruzada de Nicópolis (uma aliança europeia contra os otomanos) e terminou com sua derrota na Batalha de Ancara pelo Emir de Timúrida. A derrota levou a uma guerra civil de onze anos, também conhecida como Interregno Otomano, que terminou quando Mehmed I se tornou sultão Otomano em 1413.

Foi Mehmed II, seu neto, que reforçou Anadolu Hisari com uma parede de dois metros de espessura e três torres de vigia, entre outras extensões que incluíam um armazém e aposentos. Esta segunda fortificação era parte de um plano renovado para conquistar Constantinopla, e Mehmed construiu um forte irmão através do rio Bósforo chamado Rumelihisari, os dois trabalhando juntos em 1453 para controlar o tráfego para Constantinopla.

Em última análise, foi essa estratégia que ajudou os otomanos a fazer de Constantinopla sua nova capital imperial, Istambul.

Depois que os otomanos capturaram Constantinopla, Anadolu Hisari tornou-se uma alfândega e prisão militar, mas depois de alguns séculos caiu em ruínas. Quando os otomanos caíram e a República da Turquia foi estabelecida, o local passou para o estado que restaurou Anadolu Hisari na década de 1990.

Anadolu Hisari hoje

Hoje, Anadolu Hisari fornece uma parte integrante do quadro histórico da superioridade otomana sobre o Bósforo, entre as casas de madeira à beira-mar que definem a paisagem contemporânea. A fortaleza é um local histórico, mas infelizmente não está acessível ao público. No entanto, você ainda pode ter uma noção real do domínio da fortaleza sobre a área circundante ao observar do cais local.

Chegando a Anadolu Hisari

Você pode chegar ao Anadolu Hisari por transporte público a partir das estações de metrô Boğaziçi Üniversitesi ou Nispetiye, ambas a 20 minutos a pé. Se alugar um carro, há um grande estacionamento em Göksu Creek em MÜ Anadoluhisarı Kampüsü.


Anadolu ve Rumeli Hisarı

Anadolu Hisarı

İsmini bulunduğu semtten alan Anadolu Hisarı, Güzelce Hisarı olarakta bilinmektedir. Göksu Deresi’nin İstanbul Boğazına döküldüğü yerde bulunan Anadolu Hisarı, 7 dönümlük bir alan üzerine kurulmuştur. Yıldırım Beyazıt zamanında 1393 yılında yapımına başlanılan Hisar, 1395 yılında bitirilmiştir.

İç ve dış kale ile bu kalelerin surlarıyla çevrili olan Hisar ait üç gözetleme kulesi mevcuttur. Hisarın ilk yapıldığı dönemde giriş kapısının olmadığı ve iç kale surlarına asma bir köprü vasıtasıyla ulaşım sağlandığını söylenmekte.

Anadolu Hisarı 1453 yılında gerçekleşen İstanbul Fethi sonrasında askeri önemini kaybetmesinin ardından, zamanla çevresi bir yerleşim bölgesi şeklini almıştır. Zamanın yıpratıcılığına ve depremlere boyun eğen hisarın büyük çoğunluğu görmek isterseniz eğer hayal kırıklığına uğrayacağınızı belirtmeliyiz. Günümüzde antik Jüpiter Tapınağının olduğu yere yapılan Anadolu Hisarının bazı bölümleri ise yıkılmış ve tam ortasından da yol geçirilmiştir.

Tüm bunlara rağmen bulunduğu konum itibariyle görsel güzelliği (belli bir bölümü için) koruyan hisarın denize hakim konumu ve Göksu Deresi’nin yanında olması birçoki yerli vekganceyi ainda turistin yabgance ilaçin e turistin.

Rumeli Hisarı

İstanbul boğazının en dar iki kıyısı üzerine (600 metros) Avrupa yakasında yaklaşık 30 dönümlük bir alana İstanbul’un fethinden önce yani 1452 yılında Fatih Sultan Mehmet tarafından Sultan Mehmet tarafından Sultan Mehmet tarafındanütan Sultan tarafındiban Sultan Günümt tarafından Sultan 139 gümrım günümtt tarafındiml günüml gühmet tarafındiml günümrırım Yüzyıl şartları düşüldüğünde, bu kadar büyük bir Alanda askeri Yapı olarak karşımıza çıkıyor olması ve Malzeme insan Gucu yönlendirmesindeki Lojistik organizasyon ile Insa tekniği gerçekten ela insanı hayretler içerisinde bırakmaktadır. Rumeli Hisarı & # 8217nın adı Fatih vakfiyelerinde, “Kulle-i Cedide”, Neşri tarihinde “Yenice Hisar” Kemalpaşazade, Aşıkpaşazade ve Nişancı tarihlerindeyse “Boğazkesen Hisarı” olarak geçmektedir.

Hisar & # 8217ın Projesi, yapılacak surların, burçların, kapıların yerleri ve mesafeler aralarındaki Fatih Sultan Mehmet'in tespit ettiği hususlar dikkate alınarak Mimar Muslihiddin Ağa tarafından çizilip, projelendirilse de, Padisah inşaatın ela aşamasıyla yakından ilgilenmiştir. Uzaktan bakıldığı Zaman Osmanlıca “Muhammed” biçiminde okunacak şekilde Insa edilen Hisar, denizden bakıldığında sol bölümün sorumluluğunu Saruca Paşa'ya, a SAG bölümü sorumluluğunu Zağanos Paşa'ya, kıyıdaki kuleyi Halil Paşa'nın denetimine verirken, deniz tarafındaki bolume de bizzat kendisi ilgilenmiş. Kulelerin yapımını denetleyen paşaların adlarını ise kulelere verilmiş. Bunların dışında on üç küçük burç ve Hisarpeçe’nin üzerinde bir küçük burç dahil olmak üzere toplam em yedi burç yer almaktadır.

Güneye bakan kulenin yakınında, cephane ve erzak mahzenlerine giden yolların ucunda, 2 gizli kapısı da bulunan Hisarın, biri tıkalı iki su mecrası, ikisi kaybolmuş üç çeşi vardr gizli. Hisar’ın içerisinde restoresi tamamlanmış bir adette Cami bulunmaktadır.

Hisarın deniz müzesine dönüştürülmesi için 1917’de bir proje hazırlanmış ise de, Birinci Dünya Savaşının sonunda bundan vazgeçilmiş. 1953’te baştan sona restorasyon geçiren Hisar’ın, Kaleiçi Mahallesi istimlak edilerek tamamı müze haline getirilmiştir. Müzede sergi salonu ve depo olmadığı için savaş topları, gülleler ve Haliç & # 8217i kapattığı söylenen zincirin bir parçasından oluşan eserleri ise bahçesinde görmeniz mümkündür. Tarihle kalmanız ümidiyle & # 8230

Rumeli Hisarı

Halil Paşa Kulesi

Caminin olduğu yerde daha önceden rumeli konserleri verilmekteydi şimdi cami restorasyon geçirip büyültüldüğü için artık verilmiyor.

Çavuşin (Nicephorus Phocas) Kilisesi

Göreme-Avanos yolu üzerinde ve Göreme'ye 2,5 km uzaklıkta olan bu kilise tahminen 964-965 yıllarında İmparator Nicephorus & hellip

Kızıl Kule

Adını taşlarının renginden alan ve 13.yüzyılda 1.Alaaddin Keykubat döneminde, Halepli yapı ustası Ebu Ali Reha & hellip

São Nicolau (Gemiler) Adası

Santo Aziz Nicolas (Gemiler Adası) Fethiye Körfezinin doğu kısmında yer alan ve sadece tekne turlarıyla & hellip


Castelos, torres e colunas de Istambul e # 8217

Uma relíquia do século 14 da primeira tentativa do Império Otomano de conquistar Istambul, Fortaleza da Anatólia está localizado na costa asiática de Istambul, no ponto mais estreito do Estreito de Bósforo. O sultão Yildirim Bayezit construiu esta fortaleza em 1393 sobre as ruínas de um templo bizantino dedicado a Zeus. É muito menor em tamanho quando você compara com a fortaleza Rumelihisari situada no lado europeu, exatamente do lado oposto. Hoje, Anadoluhisari é um museu ao ar livre com quase nada para ver além de suas paredes e velhas casas de madeira ao redor.

Rumelihisari

Sultan Mehmet, o Conquistador, construiu Fortaleza Rumeli em apenas quatro meses em 1452 e em frente à fortaleza Anadoluhisari em preparação para o ataque final a Constantinopla (a Istambul moderna), que levou à queda do Império Bizantino. Até alguns anos atrás, a fortaleza costumava receber muitos concertos e apresentações dramáticas em seu anfiteatro, geralmente durante os meses de verão. A fortaleza está aberta ao público como museu todos os dias, exceto às quartas-feiras.

Yedikule

Esta fortaleza com sete torres foi construída na época do sultão Fatih Mehmet para proteger o tesouro. Durante o reinado de Murat III, o tesouro protegido em Yedikule foi transferido para o Palácio de Topkapi e Yedikule começou a ser usado como uma masmorra. Local de encarceramento de muitos embaixadores estrangeiros e estadistas otomanos, bem como local de execução para alguns, a fortaleza foi usada pela última vez como prisão em 1831. Tornou-se então residência para os leões do Palácio de Topkapi e, posteriormente, local de fabricação de pólvora . Hoje a fortaleza é um museu e também costumava receber concertos ao ar livre no seu pátio interno durante os meses de verão, mas hoje está fechada ao público e aguardando as obras de restauração.

Galata Kulesi

Uma torre de 55 metros com vista panorâmica da cidade velha, Galata Kulesi foi construída no século 14 pelos genoveses como parte da muralha de defesa que circunda seu distrito de Galata, em frente a Bizâncio (Constantinópolis). Os genoveses costumavam fazer comércio com os bizantinos e a torre era usada para a vigilância do porto no Chifre de Ouro. Após a conquista de Constantinopla pelo sultão otomano Mehmet II, serviu para detectar incêndios na cidade. A torre agora abriga um pequeno restaurante no topo. Hoje há elevador, mas ainda faltam mais três andares para subir pelas escadas para chegar ao terraço panorâmico 360º. Está aberto de manhã cedo até o final da tarde, todos os dias.

Kiz Kulesi

Kiz Kulesi é uma torre de pedra do século 12 erguida sobre uma rocha na entrada do estreito do Bósforo pelo imperador bizantino Manuel Comneno. A torre, que já serviu de prisão e farol no passado, tornou-se fonte de muitas lendas na antiguidade, como a de Leandro ou da Donzela. Agora está aberto ao público como uma cafetaria e um restaurante elegante que também acolhe pequenos concertos e reuniões. O transporte para a Torre é feito por barcos particulares de transporte de ambas as margens do Bósforo em determinados momentos do dia.

Beyazit Kulesi

Torre Beyazit foi construído pelo arquiteto Senekerim Kalfa da família Balyan em 1828 sob o reinado do sultão Mahmud II. A torre tem 85 metros de altura e quatro andares, com 180 degraus de escada até o topo. Foi construído com vista para o Corno de Ouro com o objetivo de detectar incêndios em cestos de Istambul durante o dia e grandes lanternas vermelhas, verdes e brancas à noite foram penduradas na torre para indicar que havia um incêndio na cidade. Hoje, a torre indica o clima do dia seguinte em Istambul mudando as luzes em azul significa bom tempo, verde significa chuva, amarelo significa nevoeiro e vermelho significa neve. A torre foi restaurada recentemente, mas infelizmente ainda está fechada ao público no momento e fica no terreno da Universidade de Istambul.

Dikilitas

o Obelisco foi originalmente erguido no século 16 aC pelo Faraó Tutmosis III em homenagem ao Deus do Sol Amon Ra na cidade de Teb, Egito, em frente ao templo de Luxor. Trazido a Istambul pelo imperador Teodósio I em 390 DC para a decoração do antigo Hipódromo. O obelisco de aproximadamente 19 metros de altura é coberto em todos os quatro lados com pictogramas hieroglíficos e fica em uma base de mármore com muitos frisos representando o imperador e sua família no hipódromo. Depois de decifrar os hieróglifos foi descoberto que os últimos 5 ou 6 metros do Obelisco estão faltando no fundo, provavelmente foi quebrado durante o transporte.

Obelisco de Pedra

o Obelisco de Pedra A coluna foi erguida por Constantino VII, também conhecido como Porfirogênio, por volta de 944 DC para a decoração do Hipódromo Bizantino. Era feito de blocos de calcário e totalmente coberto com placas de bronze com inscrições que eram dedicatórias feitas a seu avô Basileu I. Infelizmente todas as placas de bronze foram removidas durante o reinado da 4ª Cruzada, que as derreteu para fazer moedas e armas, portanto, nenhuma das eles sobreviveram até nossos dias. A coluna tem cerca de 32 metros de altura e repousa sobre uma pequena base de mármore.

Serpentine Column

Originalmente, esta coluna foi erguida em 479 aC em frente ao Templo de Apolo em Delfos, Grécia, para comemorar a vitória naval dos gregos sobre os persas e para mostrar seu respeito a Apolo por vencer a batalha após consultar seu oráculo. A coluna de bronze era formada por 3 cobras entrelaçadas e os nomes das 31 cidades-estado gregas que participaram da guerra estavam escritos nelas. Também é dito que havia um grande pote dourado no topo das cabeças de cobra. A coluna foi trazida para Constantinopla no século 4 DC pelo imperador Constantino I, para a decoração do Hipódromo. A coluna Serpentine tinha originalmente 8 metros de altura, mas hoje faltam apenas 5,30 metros porque ninguém gostou desta estátua aqui ser a representação de cobras do diabo, então todos tiraram um pedaço para destruí-la. Portanto, as 3 cabeças de cobra também foram destruídas e apenas pedaços de uma das cabeças foram encontrados durante as escavações e ela foi levada para o Museu Arqueológico de Istambul.

Coluna dos Godos

o Coluna gótica fica no pátio externo do Palácio de Topkapi, no Parque Gulhane, e rodeado por árvores. É uma das colunas mais antigas do período romano, erguida provavelmente nos séculos III ou IV dC, esculpida em uma única pedra e decorada com um capitel de estilo corinto contendo um relevo de águia. Por causa das inscrições que mencionam a vitória sobre os godos, é chamada de Coluna dos godos. A coluna tem 15 metros de altura e assenta numa pequena base.

Coluna Cemberlitas

A coluna, conhecida como Cemberlitas (coluna com anéis) em turco, foi trazida para Constantinopla do Templo de Apolo pelo imperador Constantino I entre 325 - 328 DC. Havia uma estátua de Apolo no topo, que foi substituída por uma cruz durante o cristianismo. A coluna simboliza também o fim da tradição pagã nas terras bizantinas. Foi erguido no meio de uma praça oval conhecida como Forum Constantini, localizada no segundo morro da cidade. A cruz foi removida após a conquista de Constantinopla durante o período otomano. A coluna de 35 metros de altura foi danificada por grandes incêndios e condições climáticas durante as eras, então o Sultão Mustafa II reforçou a coluna com anéis de ferro. A capital do mármore é do século XII e o pedestal de reforço do século XVIII.

Coluna Kiztasi

o Kiztasi coluna foi erguida por volta de 450 DC e dedicada ao imperador bizantino Marciano. É feito de granito de 17 metros de altura e assenta sobre uma base de mármore. A base de estilo coríntia é decorada com um relevo representando anjos (ou deusa da vitória), portanto, foi chamada de "Kiz Tasi" pela população local, que significa "Pedra da Donzela" em turco. Hoje a coluna está no distrito de Fatih.

Coluna Arcadios

A coluna está localizada no bairro Cerrahpasa. Foi erguido no século 5 DC pelo imperador Teodósio I e dedicado a Arcadios com uma estátua no topo. Segundo fontes e viajantes antigos, a coluna tinha cerca de 50 metros de altura e era decorada com frisos que descreviam as vitórias contra os bárbaros, mas hoje só resta o pedestal. A coluna foi seriamente danificada durante os terremotos e foi reforçada por anéis de metal durante o período otomano.

Arco do Triunfo de Teodósio

Teodósio I ergueu um enorme Arco do Triunfo que foi coroado com a estátua do imperador e uma coluna no centro do antigo Fórum Tauri (hoje Praça Beyazit) no século 4 DC. Algumas peças de mármore do Arco ainda podem ser vistas hoje em sua localização original, mas a coluna e a fonte monumental foram destruídas por um terremoto em 557 e desapareceram completamente por volta do século XVI sendo utilizadas como material de construção. Algumas das peças foram utilizadas na construção de um Banho Turco ao lado, cujos frisos ainda hoje se podem notar nas paredes e base.

Milhão de Pedra

Ele está localizado no bairro de Sultanahmet, no centro da cidade velha. o Milhão de Pedra sempre foi colocado no centro da cidade e as distâncias a todos os cantos do Império Bizantino eram medidas a partir deste ponto. A pedra foi erguida sob o reinado de Constantino, o Grande, por volta do século IV DC, no canto nordeste da Praça Augusteion, marcando o ponto de partida de uma extensa rede de estradas.

Aqueduto de Valens

Este é um aqueduto do período romano tardio e do início do período bizantino, construído provavelmente por volta do século 4 dC, conectando duas colinas (de sete) da antiga Constantinopla sobre este pequeno vale. É conhecido como o Aqueduto de Valens, e hoje a população local o chama de Bozdogan Kemeri (Arco) em turco. Originalmente, era usado para trazer água para Istambul das nascentes da floresta de Belgrado, cerca de 30 km ao norte da cidade.

Durante o final do período bizantino não foi muito usado e caiu em ruínas, depois restaurado pelos otomanos após a conquista da cidade e serviu por algum tempo para transportar água novamente. Ao longo dos séculos, foi seriamente danificado por causa do desuso e das estradas e edifícios construídos nele e ao seu redor. Hoje só restaram pedaços dos aquedutos originais no caminho da floresta para o centro da cidade, e no bairro de Sarachane há uma parte de 900 metros de comprimento, ou seja, o arco de Bozdogan. O município de Istambul iniciou as restaurações em 1998.

Torre de justiça

o Torre de justiça faz parte do Palácio de Topkapi e fica em seu segundo pátio, logo acima da Câmara do Conselho, ao lado do complexo do Harém. Foi construído sob o reinado do Sultão Mehmet II e usado como torre de vigia e vigilância do Chifre de Ouro. Várias restaurações foram feitas na torre e a última foi feita pelo arquiteto Sarkis Balyan. O nome da torre vem da Sala Divã (Câmara do Conselho), onde havia uma pequena janela na parede da qual o próprio sultão (ou seu espião) costumava ouvir os Vizires atrás de uma cortina e se ele não gostava de nenhuma pensamentos então ordenaram matar ou prender aquele membro do Conselho, então esta era, naturalmente, a justiça do sultão.

Torre do Relógio Dolmabahce

o Torre do Relógio foi construído logo após o Palácio de Dolmabahçe pelo Sultão Abdulhamid II entre 1890 - 1895, na entrada do Palácio. O arquiteto foi Sarkis Balyan novamente, o arquiteto imperial. O relógio tem desenho europeu e tem 27 metros de altura e quatro andares, sendo que nos dois lados pode-se observar o Tugra (monograma) do sultão. O Relógio Paul Garnier foi instalado pelo mestre relojoeiro Johann Meyar e seu mecanismo foi parcialmente equipado com eletrônica em 1979. A torre do relógio foi restaurada recentemente, portanto seu relógio está funcionando perfeitamente.

Torre do Relógio do Hospital Etfal

A Torre do Relógio foi construída pelo Sultão Abdulhamid II no século 19 no terreno do Hospital Hamidiye Etfal (hoje Hospital Sisli Etfal). O arquiteto foi Mehmed Sukru Bey. Foi feito de mármore e pedras locais, tem uma altura de 20 metros, e o Tugra (monohram) do Sultão Abdulhamid II pode ser visto na frente.

Torre do Relógio Yildiz

A torre do relógio foi construída em 1890 pelo sultão Abdulhamid II no pátio da mesquita Yildiz Hamidiye. Tem forma octogonal com três pisos. O primeiro andar tem quatro inscrições separadas, o segundo andar contém um termômetro e um barômetro, o último andar é uma sala do relógio e há uma rosa dos ventos no telhado. O relógio foi reparado em 1993.

Torre do Relógio Nusretiye

A Torre do Relógio foi construída em estilo neoclássico pelo Sultão Abdulmecid ao lado da Mesquita Nusretiye, no bairro de Tophane. A torre tem 15 metros de altura e contém o Tugra (monograma) do sultão na entrada. Infelizmente hoje a Torre do Relógio está em más condições e o relógio original e seu mecanismo não sobreviveram até nossos dias.


Rumeli Hisari

Ver todas as fotos

A Fortaleza de Rumeli Hisari pode não ser a atração turística mais popular de Istambul, mas o papel que desempenhou na história da cidade é mais do que notável. Construído entre 1451 e 1452 por Mehmed II, Sultão do Império Otomano, está localizado nas costas europeias do Bósforo, frequentemente visto de longe em navios de cruzeiro.

Buscando sitiar e capturar Constantinopla, Mehmed aprendeu com as tentativas anteriores de seu pai que as estratégias navais contra a frota bizantina eram cruciais. Ele ordenou a construção de uma fortificação em grande escala que pudesse controlar o tráfego marítimo ao longo do estreito. O local escolhido por Mehmed para esta nova fortaleza foi o ponto mais estreito do Bósforo, onde se localizava uma fortificação romana que outrora foi usada pelos bizantinos e genoveses como prisão.

Seu nome original, Castelo Boğazkesen, significa “cortador de garganta” em turco, a “garganta” se referindo ao Estreito de Bósforo. O moderno Rumeli Hisari significa “a fortaleza na terra dos romanos”, que se refere à Europa bizantina. Da mesma forma, a cidadela construída do outro lado do estreito é chamada de Anadoluhisari, ou Castelo da Anatólia.

Supostamente, o layout de Rumeli Hisari foi deliberadamente desenhado na forma do nome Muhammad - tanto o profeta muçulmano quanto o próprio Mehmed II - escrito em escrita árabe quando lido de cima.

Após a famosa queda de Constantinopla em maio de 1453, a fortaleza passou a servir como um posto de controle alfandegário, mas acabou perdendo sua importância estratégica e se tornou uma prisão durante o século 17. Foi parcialmente destruído por um terremoto de 1509 e um incêndio em 1746. Cada vez, foi imediatamente reparado e restaurado. No século 19, no entanto, a fortaleza foi abandonada.

Um bairro residencial foi formado dentro das muralhas de Rumeli Hisari, mas os habitantes foram realocados em 1953 por ordem do presidente Celal Bayar, seguido de extensas obras de restauração. Em 1960, a fortaleza foi reaberta como museu histórico e assim o é desde então, com um teatro ao ar livre para concertos.


Forte Anadolu Hisari

Este forte fica ao longo do Bósforo, do outro lado da maior e muito mais magnífica fortaleza Rumeli Hisar construída por Mehmet, o Conquistador (Fatih Sultan Mehmet). Este forte menor foi construído em 1395 bu Yildirim Beyazit, mas também foi ampliado por Fatlh.

O bairro é muito agradável e tranquilo. Há um rio chamado Goksu, chegando ao Bósforo neste ponto e há bons restaurantes e cafés à beira do rio e também à beira-mar.

Este lugar pode ser facilmente alcançado de ônibus ou táxi de Uskudar ou de balsa de Arnavutkoy ou Bebek. Cada parada de balsa leva apenas 5 minutos e esta é uma maneira muito conveniente de chegar a Anadoluhisari, Kandilli ou Kanlica do lado europeu. Use o site Sehir Hatlari Saatleri para ver o horário.
Eu recomendaria Big Chefs à beira-mar e do rio, Marine by the river para uma boa refeição. No entanto, evite fins de semana.


Fortaleza Rumeli Hisarı em Istambul - um castelo e uma cidade entre dois mundos

A fortaleza de Rumeli Hisarı, vista do Bósforo.

A Fortaleza de Rumeli Hisarı, localizada na costa europeia do Bósforo e no distrito mais ao norte de Istambul, é um monumento impressionante.

Todos os anos, centenas de milhares de visitantes a esta grande cidade seguem a tradição de longa data de fazer um cruzeiro no Bósforo e ver o impressionante castelo de longe. Poucos deles percebem que o edifício desempenhou um papel no cerco e queda de Constantinopla em 1453 e que sua própria forma e detalhes exemplificam os desenvolvimentos históricos que levaram a este evento de mudança mundial, o fim do Império Bizantino após mais de mil anos e o estabelecimento do Império Otomano como um ator importante por cinco séculos.

O novo teatro ao ar livre e a torre inferior (Torre Halil Paşa), com vista para o Bósforo e a Ponte do Sultão Fatih.

Distinguido por seu significado histórico, seu cenário altamente cênico com vista para a Ponte do Sultão Fatih que liga a Europa e a Ásia e sua monumentalidade absoluta, o local inclui os restos das muralhas da fortificação com torres e portões, bem como cisternas, fontes e uma mesquita. Atualmente funciona como um centro cultural com um teatro ao ar livre e um museu, situado na parte inferior do recém-construído Campus Universitário do Bósforo. Em uma cidade onde há muito para visitar e descobrir - igrejas bizantinas, paredes e cisternas, palácios e mesquitas otomanas, bazares, comida e especiarias - e em um lugar onde o Oriente encontra o Ocidente, a Fortaleza Rumeli Hisarı é um lugar incomum -track site, raramente listado entre os “Top 10” ou “Top 30 coisas para ver e fazer”. Apesar da falta de fama, é um destaque em nossa excursão Explorando Istambul. Passamos um dia explorando o Bósforo e suas margens em um cruzeiro privado e de ônibus, em um itinerário cuidadosamente planejado para incluir a fortaleza e desvendar o estreito do Bósforo e com eles o significado geoestratégico da cidade.

Anadolu Hisarı, construído entre 1393 e 1394 na costa asiática do Bósforo.

O nome Rumeli Hisarı, que significa “Fortaleza na terra dos romanos”, ou seja, no lado europeu ou bizantino do Bósforo, é uma reflexão tardia. Inicialmente era chamado de Castelo Boğazkesen, literalmente o “Cortador de Garganta”, pois sua finalidade era cortar o estreito - ou a garganta - que é o Bósforo. Foi construído em 1452 pela ordem de Fatih Sultan Mehmed, famoso como Mehmed, o Conquistador ou simplesmente Mehmed II, no ponto mais estreito do canal do Bósforo, em frente ao Anadolu Hisarı - outra fortaleza otomana localizada no lado da Anatólia e construída há cerca de 60 anos anteriormente (1390-1395) como um posto de observação e ponto seguro para um pequeno número de tropas otomanas.

Apesar dos danos, reparos e modificações ao longo dos séculos, Rumeli Hisarı ainda respira história - seu grande significado reside em alguns elementos específicos e bem definidos, intimamente relacionados com as circunstâncias gerais e inovações que moldaram a história do final da Idade Média e os eventos essenciais estava envolvido. No início, no entanto, dois pontos gerais sobre castelos e fortificações devem ser observados. Em primeiro lugar, é importante ter em mente que falar de castelos sempre significa se envolver com o tema da guerra e das políticas externa e de defesa dos Estados, seja qual for o período. Em segundo lugar, o desenvolvimento dos castelos medievais seguiu os desenvolvimentos e padrões militares de seu período. Isto aplica-se a todas as principais funções dos castelos, nomeadamente servir como a) fortalezas militares b) como sedes de governantes locais, ou c) como áreas residenciais para toda a população de uma área, ou d) como uma combinação dessas opções.

Um plano de Rumeli Hisarı (por usuário Bakayna do Wikimedia Commons).

O século 15 foi aquele momento crucial em que a introdução de novos materiais (pólvora) e novas técnicas de luta (armas de fogo e maquinaria de cerco complexa) levou a mudanças dramáticas que afetaram a condução da guerra, bem como o desenho de novas fortalezas. Portanto, a importância de Rumeli Hisarı se deve a algumas novas características da arquitetura militar, sublinhando o desenvolvimento da tecnologia de guerra neste ponto fugaz, mas crucial no tempo, juntamente com sua contribuição para a evolução das forças armadas otomanas em desenvolvimento. Outro fator significativo é certamente a localização estratégica da fortaleza e sua função durante a conquista otomana, a queda final de Constantinopla e todo o Império Bizantino de 11 séculos de existência.

A Torre do Conquistador (Fatih), em homenagem ao Sultão Mehmed II, domina o lado norte da fortaleza.

Números, novas formas e novas tecnologias poderosas

Rumeli Hisarı ocupa uma área total de 30.000 metros quadrados (cerca de 7,4 acres) e realmente se parece mais com uma pequena cidade murada dominando o mar. As paredes encerram uma área irregular, aproximadamente retangular, cuja forma é determinada pela configuração do terreno. Eles incluem três grandes torres (duas no lado esquerdo e uma na costa) e treze pequenas torres de vigia de diferentes formas colocadas ao longo das paredes entre as torres principais. A torre principal ao norte tem a forma de um cilindro de 9 andares com 28 m (92 pés) de altura e um diâmetro de 23 (76 pés).

A poligonal Halil Pasha Tower à beira-mar.

Uma segunda grande torre com a mesma forma e aproximadamente o mesmo tamanho ergue-se no lado sul. Na orla marítima e no meio da muralha da fortaleza voltada para o mar, ergue-se a torre poligonal - de 12 lados, para ser exato - Halil Pasha Tower, também de 9 andares de altura e com o mesmo diâmetro. Telhados cônicos de madeira cobertos de chumbo coroavam originalmente essas torres, como são conhecidas, por exemplo, da famosa e impressionante Torre Galata, construída pelos cruzados cerca de um século antes. Três portões principais colocados próximos às torres principais oferecem acesso, enquanto várias entradas menores e passagens secretas forneciam suprimentos para os arsenais e as unidades de armazenamento de alimentos.

A impressionante Torre Galata, com 67 m de altura e construída pelos Cruzados em 1348, hoje fica no centro da Istambul moderna. O atual telhado cônico foi restaurado após danos em meados dos anos 1960.

Todas as paredes da fortificação e as das torres têm 6 a 7m (19 a 23 pés) de espessura, correspondendo às necessidades criadas pelo recente desenvolvimento da tecnologia dos canhões. Portanto, a largura das paredes em Rumeli Hisarı era três vezes maior que a das paredes de Constantinopla, que era de 2,5 metros (8,2 pés).

Secção das paredes de cortina espessas e fortemente construídas (após restauro).

As três enormes torres, um elemento importante e típico das fortificações otomanas, em conjunto com as posições inovadoras para canhões defensivos e as grossas paredes que protegem a fortaleza contra os canhões inimigos, transformaram Rumeli Hisarı em uma fortaleza altamente protegida. Isso a distingue das fortificações otomanas mais simples e antiquadas na península dos Bálcãs (por exemplo, na Albânia, em Edirne e na Trácia).

Em meio século, os otomanos desenvolveram os melhores e mais enormes canhões de seu tempo: o novo castelo com suas fortes muralhas seria usado como ponto de base para ataques ofensivos otomanos, enquanto a tecnologia de bala de canhão da época se mostrou muito ineficaz para destruir paredes de tal espessura.

Plano da fortaleza bastião veneziano da cidade de Chania em Creta, 1536.

A introdução da pólvora e a disseminação da artilharia na segunda metade do século 15 criaram uma revolução em todos os aspectos da guerra defensiva e ofensiva, afetando tanto as armas quanto as fortificações. Claramente, a República de Veneza e seus arquitetos e engenheiros especialistas desempenharam um papel de liderança na evolução da arquitetura de defesa militar, especialmente no Egeu. Eles introduziram várias inovações ao adicionar novas estruturas defensivas aos fortes existentes, alargando os fossos, aumentando a espessura das paredes e das passadeiras para a colocação e movimentação dos canhões. Assim, durante o século 16, os venezianos mudaram completamente os castelos medievais anteriores, introduzindo baluartes fortes, atarracados e angulares com várias projeções e paredes inclinadas baseadas no sistema de “fogo lateral” - com o objetivo de deixar os agressores expostos e desprotegidos.

The wide moat and part of the 'bastion system' of the Fortress of Rhodes (16th century), finally besieged and conquered by the Turks in 1522.

The Ottomans were never as advanced as the Venetians and other Europeans in regard to their defensive architecture – thus, they suffered several defeats by the Venetians and the Knights of Rhodes, until they finally came to besiege their fortified cities. However, the situation at Constantinople in 1453 was different: here, the Ottomans had the upper hand in terms of both attack and defense. Their dominance in both regards was beyond question and moreover, the recovery of the Byzantine Empire was beyond the achievable or imaginable by this time - as we shall see.

It's the economy, stupid – Byzantine decline, Ottoman apogee and the giant bombardas

Of course, such superiority should be seen in context the state of instability and crisis prevailing in Europe during the 14th century: general economic and trade issues, the Venetian-Genoese quarrels, the emergence of new trading centres in Egypt and, last but not least, the extensive monetary crisis of the Byzantine Empire.

Ankara Castle, where the 1402 catastrophic battle against the Timurid Empire halted the Ottomans' plans to besiege Constantinople - for a while.

For several scholars, the real final blow to Byzantium was caused long before 1453, namely by the Fourth Crusade of 1204. During that event, the empire’s treasuries had been plundered, so that in spite of the recapture of Constantinople by the Byzantines in 1261, the Byzantine state was never able to recover. As a matter of fact, many political and financial problems continued to torment Byzantium even after 1261. From the middle of the 14th century until the final sack and collapse in 1453, civil wars, the plague and demographic issues, high taxation and a series of chronically misguided geopolitical and economic measures disrupted the formerly balanced fiscal cycle of the empire. The accumulation of Byzantine capital in the hands of major landowners and few private individuals had further adverse effects, since a great part of it was invested in Italian trade companies and institutions. Additionally, the financial importance and prestige of Constantinople was challenged harshly and decisively by the Ottoman expansion in the Balkans and Asia Minor and the consequent long-term recalibration of trade networks in the Eastern Mediterranean.

Under these circumstances, the fall of Constantinople was only a matter of time. The mid-15th century was the appropriate time for the ascendant Ottoman power to enter the city and provide a suitable capital for its new Empire. Mehmed II was clearly the key figure of his period, not only because he changed the Ottoman Sultanate into an Empire, but also because he transformed the previously prevalent lightly armoured cavalry into a centralized armed force with several different infantry corps. His leadership along with the excellent military machine that he created and the capacities of the new artillery batteries devastated the walls of Constantinople and likewise the moral of the Byzantines. We know that one of the most important deficiencies of the earlier unsuccessful Ottoman siege of Constantinople (1422) had been a lack of heavy cannons. To this extent, the new huge cannons, those giant bombardas, were among the big winners of the final 1453 siege.

The fortress, the sea and the cannons at the final siege

The enormous Dardanelles Gun is one of the few surviving examples of a 15th century Turkish bombard, such as those used by Mehmed's forces. Cast in 1464, it was last used in 1807 and is now on display near Portsmouth, England.

By the time of Mehmed II, Constantinople was surrounded on all sides by Ottoman territories: the new Sultan with his reformed army made his military preparations in his European capital, Edirne in Eastern Thrace. In 1452 he ordered the casting of new massive bronze cannons by Orban, the same master-craftsman and engineer who earlier had unsuccessfully approached the Byzantine Emperor in order to promote and sell his new superguns. Bronze cannons were, however, extremely expensive and thus unobtainable for the Byzantine state, whereas for Mehmed II they were the most extraordinarily well-suited weapons to destroy his enemy. The biggest of Orban’s monster guns, famed as the “Royal Cannon”, was made of solid bronze, 8.2m (27ft) long, with a diameter of 76cm (30?).

It was at that very time that Mehmed II decided to construct Rumeli Hisarı on the European shore – in order for it and its older counterpart on the Asian side to block all sea traffic to and from the Black Sea and to protect a series of smaller fortresses further inland which were ready to accept his new large cannons. Rumeli Hisarı’ first saw action in November 1452, when its guns opened fire on a pair of Venetian ships attempting to escape the scene.

Ironically, the monster cannon of Mehmed II turned out to be of limited use in destroying the city’s walls: eventually, its immobility and slow rate rendered it ineffective. The final resolution came, after several weeks of stalling, via the sea and through assaults by smaller but still massive cannons.

A night-time view of the Bosphorus and Bosphorus Bridge frum Rumeli Hisarı.

The Bosphorus was very well protected by Rumeli Hisarı and the smaller sea fortresses and thus blocked that sea route for the Byzantines and any external force. The Ottomans vessels, under the protection of the new cannon artillery, forced the Byzantine fleet to find refuge away from the sea walls, while at the same time the Ottoman army devised a brilliant trick to penetrate into the heart of the city, an intriguing anecdote from the 1453 siege (a topic to which we will surely return in a future post). From that time onwards, the Ottoman bombarded the city walls continuously and from all sides. The local population was exhausted, the numerous cracks in the walls could not be restored any longer and Constantinople fell after a bloody and dramatic siege on 29 May 1453.

In conclusion, Rumeli Hisarı is indeed a place of great significance a key structure standing in between two worlds during 1453, involved in inaugurating a new historical era and new international geopolitical balances that turned Constantinople for the second time in its long history into the capital of a newly-risen powerful Empire that was to be a major power for many centuries. It’s a perfect site to imagine the sounds, smells and images of battle, and to discover the Ottoman history and archaeology of Istanbul on our 1-week Exploring Istanbul tour, alongside with various gems from the Hellenistic, Roman, Byzantine and Ottoman world, hamams, bazaars and aromas of a city that has always straddled the edge of two continents and two worlds.


Anadolu Hisari Fort

This fort is along the Bosphorus, right across the bigger and much more magnificent Rumeli Hisar fortress built by Mehmet the Conquerer ( Fatih Sultan Mehmet). This smaller fort was built in 1395 bu Yildirim Beyazit but was extended by Fatlh also.

The neighborhood is very nice and quiet. There is a river called Goksu, reaching the Bosphorus at this point and there are nice restaurants and cafes by the river and also by the sea.

This place can be easily reached by bus or taxi from Uskudar or by taking a ferry from Arnavutkoy or Bebek. Each ferry stop takes only 5 minutes and this is a very convenient way to reach Anadoluhisari, Kandilli or Kanlica from the European side. Use Sehir Hatlari Saatleri web site to see the timetable.
I would recommend Big Chefs by the sea and river, Marine by the river for a good meal. Avoid weekends though.


Anadolu Hisari Fort

This fort is along the Bosphorus, right across the bigger and much more magnificent Rumeli Hisar fortress built by Mehmet the Conquerer ( Fatih Sultan Mehmet). This smaller fort was built in 1395 bu Yildirim Beyazit but was extended by Fatlh also.

The neighborhood is very nice and quiet. There is a river called Goksu, reaching the Bosphorus at this point and there are nice restaurants and cafes by the river and also by the sea.

This place can be easily reached by bus or taxi from Uskudar or by taking a ferry from Arnavutkoy or Bebek. Each ferry stop takes only 5 minutes and this is a very convenient way to reach Anadoluhisari, Kandilli or Kanlica from the European side. Use Sehir Hatlari Saatleri web site to see the timetable.
I would recommend Big Chefs by the sea and river, Marine by the river for a good meal. Avoid weekends though.


Anadolu Hisari - Istanbul

Situated opposite to the Rumeli Fortress, Anadolu fortress ( Anadolu hisari) was constructed with the order of Yıldırım Beyazıd in 1393, during one of the sieges of Istanbul. The place of the construction site was initially holding a Christian Church. Anatolian fortress was, in that respect, set the grounds for the conquest of the Istanbul. Around the fortress, there are many ancient mansions that are contructed for Ottoman dignitaries and senior civil-servants during 18th and 19th centuries.

During the conquest of Istanbul, Fatih Sultan Mehmet (the conqueror) intended to prevent the city to get aid from the Danube and the Black Sea. So he decided that a second fortress should be constructed opposite to the Anadolu Hisari (Anadolu Fortress ). It ıncludes 3 towers and walls among them. The construction of the fortress was completed with streneous efforts of the 1.000 craftsmen and 2.000 workers within an unbeliveable time of 4 monts in 1452. In 1953, it was restored for the celebration of the 500th anniversary of the conquest. It has a cannon museum and an open air museum used for concerts in summer time


Anadolu Hisari - History

An Istanbul Welcome at Yedikule Hisari

Originally built as the welcoming point for visitors from Europe and beyond, Yedikule Hisari is a castle/fortress that should certainly be on your Istanbul must visit list.

Known commonly in history as the ‘Fortress of Seven Towers’, Yedikule Hisari is located towards the edge of the city limits, but is one of the most well preserved and oldest fortresses to visit in Istanbul. At around 3 miles away from Sultanahmet, in a southwestern direction, it is surprisingly easy to reach Yedikule Hisari, and the effort will be more than worth it. There are rarely huge crowds here, probably because of the distance from the main part of Istanbul, and it is so well preserved, with fantastic views, that it will fill up your camera memory card, for sure!

The History of Yedikule Hisari

‘Hisari’ in Turkish means castle or fortress, and this particular architectural beauty was built in the 5th century, during the time of Theodosius I, and II. It was designed to the ‘golden gate’, the entrance point to what is now Istanbul, and the original doors were huge and covered completely in gold. One of the most expensive builds of its time, Yedikule Hisari originally had four towers, and was frequently visited by dignitaries and visiting VIPs from around the world.

Three more towers were added to Yedikule Hisari in 1543, by Mehmet the Conquerer. This transformed the building from a gate, into a true fortress, and it was also used as a prison and treasury too. You can see the towers even today, and they are named as the Flag Tower, Sultan Ahmet III Tower, the Armoury Tower, the Dungeon Tower, Top Tower, Treasure Tower, and Young Osman Tower. The Young Osman Tower was the site of Sultan Osman II’s death, during his imprisonment.

The Walls of Constantinople run around Yedikule Hisari, and this is the last point of Istanbul, before you venture into the surrounding suburban areas, which are surprisingly rural for the size of the metropolis you’ve just visited!

Visiting Yedikule Hisari

Visiting Yedikule Hisari is of course not as easy as visiting one of the city’s central attractions, because of the distance, however this is a great excuse to see a more authentic and residential side of Istanbul. The easiest and quickest way is to take the train, which means you don’t have to sit in endless amounts of traffic around Fatih and the smaller distracts past there. Head to Sirkeci Station in Fatih and take the train to Halkali. Yedikule is part way between the two and the stop will be well announced.

Of course, you could take the bus if you really want to, and there is a direct bus from Eminonu to Yedikule which runs a few times per day. Remember, traffic around this part of the city in particular can be very bad at certain times, and also grid locked occasionally. You basically won’t feel like you’re going anywhere very fast!

Yedikule HIsari is open every day apart from Wednesdays, and from 9.30am until 4.30pm. It will cost you just 5TL to go inside, and you should certainly remember your camera for the stunning views over the surrounding area.

Your visit to Yedikule HIsari will probably take you half a day when you factor in the travel time, but this still gives you space and opportunity to visit the other attractions within the general vicinity. When you get back on the train to Fatih, simply walk back down to Sultanahmet or Eminonu and see some of the main sights down there. We might be painting Yedikule Hisari as being a very long way, but three miles is really nothing! The train will make your journey faster, and that leaves you space to perhaps go and visit the Blue Mosque or Topkapi Palace. If you want to stay around Eminonu and enjoy the waterfront feel over the Golden Horn, why not visit Yeni Camii (New Mosque), or venture towards the fragrant Spice Bazaar? Alternatively, there are some fantastic restaurants underneath the Galata Bridge, where you can enjoy seafood in particular, and have the best spot in the house for the sun setting over the Golden Horn.

Although some of Istanbul’s sights might be a little further away, these are often the best, because you won’t have to do battle with crowds, and stand in line for admission. This leaves you time and space to wander free and really take in the history, which oozes out of every single stone.


Assista o vídeo: Anadolu Hisari